Doenças do Intestino

Doença Celíaca

Doença Celíaca

Download PDF O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE

O glúten advém de proteínas de cerais (trigo, centeio, cevada e aveia). As doenças glúten-relacionadas podem ser classificadas de acordo com o mecanismo patogênico predominante.

O mecanismo pode ser:

  • Alérgico: alergia ao trigo
  • Autoimune: doença celíaca
  • Não alérgico e não autoimune: sensibilidade ao glúten não celíaca

A doença celíaca é considerada uma afecção sistêmica imune, desencadeada e mantida pelo glúten na alimentação em indivíduos geneticamente suscetíveis.

O aumento da incidência da doença celíaca nos últimos anos pode ser explicado pela maior disponibilidade dos testes sorológicos e pela facilidade de biópsias por meio de exames endoscópicos.

A doença celíaca resulta da imbricação de fatores genéticos, ambientais e imunológico.

  • Fatores genéticos (genes HLA)
  • Fatores ambientais
  • Fatores imunológicos

A doença celíaca compromete o intestino delgado proximal, afetando a absorção de vários nutrientes.

Quanto mais grave a lesão e maior o segmento atingido, mais intensa será a má absorção e mais lesado será o indivíduo.

QUADRO CLÍNICO

O quadro clínico na doença celíaca varia muito, dependendo da gravidade e extensão das lesões e da idade do paciente.

A forma clássica ou típica decorre da má absorção de nutrientes, encontrada tanto em crianças quanto em adultos, com quadro de diarreia crônica e desnutrição. Os adultos e idosos podem apresentar ainda; sintomas gastrointestinais altos, emagrecimento, fadiga crônica, mudança de humor, depressão, diarreia/constipação, distensão abdominal e problemas gineco-obstétricos.

Complicações da doença

  • Anemia
  • Osteoporose
  • Jejunite ulcerativa
  • Linfoma do intestino delgado
  • Carcinoma

DIAGNÓSTICO

  • História clínica e exame físico
  • Exames laboratoriais de rotina
  • Sorologia de anticorpos
    - Anticorpos antigliadina
    - Anticorpos antiendomísio
    - Anticorpo antitransglutaminase
  • Exames radiológicos
    - Trânsito intestinal
    - Idade óssea
    - Densitometria óssea
  • Exames de imagem
    - Enterotomografia ou enterorressonância
  • Exames endoscópicos
    - Endoscopia digestiva alta (biopsias de 2 fragmentos no bulbo e 4 fragmentosna segunda porção do duodeno)
    - Cápsula endoscópica

TRATAMENTO

  • O tratamento tem por objetivos:
  • Eliminar as alterações fisiológicas intestinais
  • Facilitar e favorecer a absorção dos nutrientes
  • Normalizar o trânsito intestinal
  • Recuperar o estado nutricional do paciente
  • Melhorar a qualidade de vida dos pacientes

O tratamento único é a dieta isenta de glúten para toda a vida.

Fale Conosco

REDES SOCIAIS

Facebook

Youtube

Linkedin

Podcast

Newsletter

Cadastre-se e receba novidades